A França de Miguel Rio Branco

Todo mês uma personalidade responde às nossas perguntas e nos conta o que a França representa para ela. Esse mês, o famoso fotógrafo franco-brasileiro Miguel Rio Branco nos conta um pouco sobre a sua relação com a França.

JPEG

Quais são os seus laços com a França?

Os laços vêm dos meus avós, Paulo Rio Branco, médico, nascido em Paris e casado com Françoise, minha avó, também médica. Depois veio o meu pai, que deixou a França para se tornar um diplomata brasileiro.
Ou seja: o laço já veio no sangue do lado de minha avó materna e da escolha do meu avô que viveu a maior parte de sua vida em Paris.
Depois veio a educação francesa que se completou com o Baccalauréat, passado em NY. Mas essa dupla realidade na minha vida sempre existiu, a França mais racional e o Brasil mais emocional e talvez mais idealizado.
E depois as constantes viagens e vivencias com exposições e trabalhos feitos na França que continuam até hoje, que acabam me fazendo às vezes mais francês do que brasileiro.

Um lugar imperdível na França?

Também são muitos os lugares imperdíveis além de Paris, mas sempre gostei mais particularmente de Arles onde participei três vezes dos Encontros de Fotografia, Avignon, a Provence em geral.

Qual a personalidade francesa que você prefere?

Cezanne, Monet, Matisse, Bonnard, e muitos outros que elevaram a pintura a lugares extraordinários, surpreendentes, profundos.
Brassens, Brel, Ferré, Nougaro, poesia e canções.
Mais uma vez, são muitos.

Qual o pior defeito e a melhor qualidade dos Franceses?

Defeito, o mau humor, um sentido excessivamente crítico da vida, mas ao mesmo tempo esse sentido crítico também pode evoluir para um forte sentido de justiça e ajuda a países onde há regimes totalitários.

Se você tivesse que resumir a França em um livro, uma música ou um filme, qual seria?

Não me parece sensato resumir nenhum país e ainda menos a França em um livro, um filme, uma música...
No entanto um dos filmes que junta o amor e a consciência humana de uma forma impar seria Hiroshima Mon Amour de Alain Resnais.

O gosto da França (especialidades, pratos, sabores…) ?

Celeri remoulade, ratatouille, rognons de veau flambés, cassoulet, enfim todos aqueles pratos que vêm da simplicidade e generosidade e menos aquelas amostras de nouvelle cuisine.

Como você descreveria a França em três palavras?

Liberté, Égalité, Fraternité!

publié le 27/06/2016

haut de la page