Areva construirá o terceiro reator de Angra

JPEG
Fonte : Areva

A gigante nuclear francesa Areva assinou um contrato de 1,25 bilhões de euros com a Eletrobras Eletronuclear para concluir a construção de Angra 3 no Estado do Rio de Janeiro.

O "savoir-faire" da Areva

A Areva prestará de serviços de engenharia, componentes e do sistema de controle digital da planta. O grupo também irá auxiliar na supervisão dos trabalhos de instalação e testes de comissionamento. Este contrato, que reflete a expertise Areva na construção do reator, projeto e fabricação de equipamentos nucleares e de monitoramento e controle do sistema, elevando para 103 o número de reatores nucleares construídos pelo grupo no mundo.

O presidente de Diretório da Areva, Luc Oursel, expressou o seu entusiasmo: " A Areva tem o orgulho de ter sido selecionada para concluir a construção do terceiro reator nuclear brasileiro e continuar esta parceria com a Eletrobras Eletronuclear iniciada com a construção e prestação de serviços em Angra 2.

"A conclusão de Angra 3 confirma o compromisso do Brasil para um programa nuclear ambicioso e demonstra a importância desta fonte de energia como solução para o desenvolvimento econômico sustentável".

Normas de segurança

O design de Angra 3 integra as últimas melhorias para reatores atualmente operando, especialmente em termos de segurança, e atende às diretrizes da Agência Internacional de Energia Atômica e também às normas pós-Fukushima da autoridade de normas em segurança nuclear do Brasil.

Angra

No local há dois reatores de água pressurizada: Angra 1, com uma potência de 640 MW, ligados à rede, em 1985, e Angra 2, com uma capacidade de 1350 MW, ligado à rede, em 2001.

O projeto de construção de Angra 3, um reator de água pressurizada de 1.405 MWe foi reativado pelo governo brasileiro em 2006 para atender à crescente demanda de energia e equilibrar melhor o mix de energia do país.

JPEG
Fonte : Areva

publié le 26/01/2015

haut de la page