Katia Chalita reçoit les Palmes Académiques

Passionnée par la langue française depuis toujours, Katia Chalita,se définit avant tout comme une "communiquante". Présentatrice de télévision, elle a animé pendant plusieurs années le programme France Express sur TV Educativa, puis Sem Censura, Aventures, Front Page, Maravilhas da França, Vifax, Branché, Multieducação et Rio, a cidade !. Scénariste, la productrice d’expositions et directrice de la cellule TV, Radio et Cinema à Multirio, Katia Chalita domine toutes ses fonctions avec élégance et sourire.

Le mercredi 20 mars 2013, au milieu de la semaine de la Francophonie, elle recevait des mains du Consul Général, Jean-Claude Moyret, les insignes d’Officier des Palmes Académiques.

JPEG
Katia Chalita et le Consul Général, Jean Claude-Moyret

Discours du Consul Général
à l’occasion de la remise des insignes d’Officier des Palmes Académiques
à Madame Katia Chalita
Rio, le 20 mars 2013
(prononcé en portugais)


Nós nos reunimos durante esta semana da francofonia para homenagear uma pessoa cujo trabalho, a dedicação, a paixão permitem a este conceito, por vezes abstrato, a defesa de uma língua, ganhar vida.

Katia Chalita nasceu no Brasil de uma família libanesa que aqui chegou por volta dos anos 50. Uma família que se adaptou perfeitamente ao Brasil mas que também soube conservar as suas raízes, e nas raízes de um libanês sempre existe a França e a língua francesa.

Depois dos estudos no Colégio Sacre Cœur de Marie, com professores da Aliança Francesa, Katia Chalita entrou para a Universidade, a PUC, para obter a licenciatura em português/francês. Como ela já fala muito bem o francês, pode ao mesmo tempo trabalhar na reorganização do Correio brasileiro em ligação com a França. Ela aprende também a associar o amor pela língua e as obrigações profissionais.

Ela continua sua carreira universitária como coordenadora da graduação, ela é responsável pelos cursos de formação para a tradução e obteve um mestrado em linguística portuguesa. Ela é igualmente, em um dado momento, coordenadora da cátedra de francês.

De 1982 a 1988 trabalhou no ensino na Universidade.

Por razões familiares, parte com o marido e os filhos para Petrópolis.

Nesta cidade, ela descobre, um tanto por acaso, a política, se candidata a prefeita e em seguida ao cargo de deputada. Mesmo não sendo eleita, consegue uma expressiva votação.

Sua carreira audiovisual será mais proveitosa e mais longa. Convidada como personalidade política para o programa Sem Censura, ela é notada pelo diretor que lhe propões tornar-se « debatedora ».

Ela começa assim, em 1987, sua carreira audiovisual . Um pouco mais tarde, o Consulado da França quer lançar um programa de francês pela televisão educativa « France Express » pois nessa época há pouco ensino do francês em uma grande parte do país e este programa é uma verdadeira janela para a França e sua cultura.

Nesse meio tempo, o canal Multirio a chama para fazer programas sobre a educação. Katia dá prosseguimento à sua carreira com um programa multimídia de aprendizagem do francês na TV escola.

Depois de uma interrupção surge o programa que ficaria em cartaz em 2004. Este programa irá permitir praticar e ouvir o francês a partir de reportagens sobre a França e a relação França Brasil.

Estamos agora a mais de 335 emissões em 8 anos, graças ao trabalho coletivo de 15 pessoas apaixonadas e que atingem perto de 1 milhão de pessoas.

É este programa que faz com que todo mundo conheça Katica Chalita. Mas ela fez também muitas outras coisas como a direção de programas da Multirio . Ela chegou até mesmo a traduzir Michel Foucault por ocasião de sua passagem pelo Rio. Uma maravilhosa e ao mesmo tempo terrível lembrança
É verdade que o tema era vigiar e punir.

Nascida num 14 de jullho, em um meio libanês, o laço com a França e o francês era natural para Katia. Mas ela gosta de destacar o quanto, para além de sua própria história, a França está presente na história e na formação do Brasil, na literatura, arquitetura, jardins, pintura… A lista é longa…

Katia Chalita se insere numa longa e rica história de amor entre o Brasil e a França, entre o Rio e a França. Ela o faz com seu elemento de predileção, a televisão, e com a preocupação constante de educar culturalmente o seu público, misturando os temas mais diversos, da mesma forma que seu Líbano de origem nasceu como o confluente do Oriente Médio .

Katia Chalita, por sua atividade profissional dedicada à valorização a ao desenvolvimento da língua francesa,

Por seu papel na encruzilhada de suas relações culturais entre a França e o Brasil e pela sua capacidade a dar à França e também aos franceses um rosto sorridente, tenho a honra de entregar-lhe em nome do Ministro Francês da Educação, as insígnias de Oficial na Ordem das Palmas Acadêmicas.

publié le 28/07/2014

haut de la page