Meus estudos na França - Fevereiro 2015

Uma vez por mês, oferecemos um rápido encontro com brasileiros dos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo, que estudaram na França. Algumas perguntas, sempre as mesmas, permitem desenhar breves retratos e conhecer quem foi estudar nas universidades francesas.

Vinicius Pereira: "Estudar na França significou aprendizado, amizades, crescimento!""

JPEG

Vinicius tem 29 anos, estudou 5 meses na ESSEC business School, em um intercâmbio acadêmico em administração de empresas com seu Mestrado da COPPEAD (UFRJ).

Cidade de origem: Rio de Janeiro

Cidade onde estudou na França: Cergy-Pontoise (Île-de-France)

Qual foi sua primeira impressão quando você chegou na França?
Por mais que ouvisse falar da importância da “politesse” enquanto fazia curso de Francês na adolescência, não esperava que esse fosse um traço cultural tão importante para o povo francês. Como no Brasil somos muito informais, tanto no trabalho como nas atividades do dia a dia, muitas vezes precisava me policiar para estar sempre abordando desconhecidos com um “Bonjour” e com a forma de tratamento “Vous”. Com o tempo acabei me acostumando e acabei trazendo o hábito para o Brasil. Apesar de não largar mão de um vocativo informal e carioca como o “Amigo” quando em uma conversa com um garçom pelos bares da esquina, agora faço questão de sempre começar o papo com um “bom dia” e agradecer sempre que sou servido, mesmo que por apenas um rotineiro Chopp. Acho que falta ao carioca ainda esse hábito, talvez um traço que carregamos da época da escravidão em que a pessoa que servia os outros mal tinha status de ser humano.

Qual é sua maior lembrança da França?
Certa vez, estava morando em um apartamento de uma amiga minha que iria passar as férias fora da França e disponibilizou o espaço para mim. Com poucos dias dentro do apartamento acabei me trancando pelo lado de fora e a única outra chave do apartamento estava com a avó da dona do apartamento, que morava no interior do país. Acabei tendo que fazer uma viagem inesperada para buscar a chave sobressalente e tendo uma experiência incrível. Passei a tarde toda na casa da avó da minha amiga, conversando sobre os mais diversos temas e conhecendo um pouco mais da cultura francesa com alguém com uma vasta experiência de vida.

Hoje, qual é seu vinculo com a França?
Mantenho contato com alguns amigos franceses até os dias de hoje, depois de 2 anos e meio de meu retorno ao Brasil. Dois amigos franceses estão morando no Rio de Janeiro e passaram a frequentar meu círculo de amizades e mesmo familiar.

Qual é sua atividade profissional?
Sou consultor em uma empresa de consultoria em gestão empresarial.

O que sua estadia na França mudou na sua vida?
Minha estada na França me fez ser mais compreensivo com as diferenças culturais e me abriu portas profissionais para trabalhar em qualquer lugar e com pessoas de diversos países. Hoje me sinto um cidadão do mundo.

Três palavras que resumam sua experiência lá?
Aprendizado, amizades, crescimento

Três palavras que resumam o país?
Cultura, culinária, história

Ada Camargo: "Estudar na França significou paixão, liberdade, prazer !"

JPEG

Ada tem 75 anos. Ela estudou durante 1 ano as artes aplicadas à indústria, na escola Duperret em Paris.

Cidade de origem: Rio de Janeiro

Cidade onde estudou na França: Paris (Île-de-France)

Qual foi sua primeira impressão quando você chegou na França?
Eu me apaixonei pela beleza arquitetônica da cidade, pela qualidade de vida dos parisienses em geral e pela culinária francesa. Porém, os parisienses já eram tão mal-humorados, como são hoje.

Qual é sua maior lembrança da França?
Eu estava em Paris na época da guerra da Argélia e lembro que de vez em quando umas pequenas bombas artesanais explodiam na capital. Porém, lembro mais de um sentimento de liberdade que de um sentimento de medo. Era a minha primeira experiência de independência, tão longe dos meus pais. Além disso, fiquei na casa de amigos da família, numas condições muito privilegiadas. Por isso, não tinha preocupações financeiras, e isto ajudou muito a me sentir livre e despreocupada, foi um ano mágico!

Hoje, qual é seu vinculo com a França?
Minha relação com a França sempre foi muito forte. Sou fluente em francês, meu pai nasceu na França, onde foi criado até seus 12 anos. Foi ele quem me ensinou francês, depois eu o ensinei aos meus filhos. Hoje eu não tenho mais família lá, mas os meus melhores amigos vivem na França e vamos lá regularmente, ou eles vêm nos visitar. Além disso, o meu marido é pintor e suas pinturas são frequentemente expostas na França.

Qual é sua atividade profissional?
Sou aposentada, trabalhei maior parte da minha carreira para o Ministério da Cultura, aqui no Brasil.

O que sua estadia na França mudou na sua vida?
Foi uma experiência que me fez crescer muito, um momento de muitos encontros e curiosidade. Eu me identifiquei imediatamente com a cultura francesa.

Três palavras que resumam sua experiência lá?
Paixão, liberdade, prazer.

Três palavras que resumam o país?
Beleza, culinária, amizade.

Gisele Chouin : "Estudar na França significou amizade, liberdade, viagem!"

JPEG

Gisele tem 32 anos. Ela estudou 5 meses na ESSEC business School, num intercâmbio acadêmico em administração de empresas com seu Mestrado da COPPEAD (UFRJ).

Cidade de origem: Rio de Janeiro

Cidade onde estudou na França: Cergy-Pontoise (Île-de-France)

Qual foi sua primeira impressão quando você chegou na França?
Que lugar maravilhoso!

Qual é sua maior lembrança da França?
As árvores do jardim de Luxemburgo: estavam verdes no verão, quando cheguei, vi as folhas ficarem amarelinhas e começarem a cair no outono e as árvores ficarem quase peladinhas no inverno.

Hoje, qual é seu vinculo com a França?
Infelizmente, nenhum. A França fica nos meus sonhos de férias!

Qual é sua atividade profissional?
Trabalho na área financeira de uma empresa no ramo de petróleo.

O que sua estadia na França mudou na sua vida?
Conheci uma porção de gente do mundo todo, perto de uma porção de lugares diferentes, recheados das histórias que decoramos de livros muitas vezes.

Três palavras que resumam sua experiência lá?
Amizade, liberdade, viagem.

Três palavras que resumam o país?
Historia, cultura, vinho.

Henrique : "Estudar na França significou maturidade, amizade, cultura!"

JPEG

Henrique tem 32 anos, ele estudou por dois anos no Mestrado em Informação e Comunicação da Universidade Paris VIII (Saint-Denis). Em seguida, trabalhou cinco anos na Microsoft, em Paris, antes de retornar ao Brasil, trabalhando para uma empresa francesa.

Cidade de origem: Belo Horizonte

Cidade onde estudou na França: Saint-Denis (Île-de-France)

Qual foi sua primeira impressão quando você chegou na França?
Cheguei no dia primeiro de janeiro em Paris, no feriado. Nas ruas, o frio era arrepiante. A cidade estava vazia, eu me senti como em uma cidade fantasmagórica, mas a cidade acabou ficando ainda mais bonita assim. Minha primeira impressão foi a de uma cidade agradável, onde os edifícios são baixos (o que dá impressão de uma cidade mais humanizada) e onde tem uma verdadeira unidade arquitetônica.

Qual é sua maior lembrança da França?
Morei sete anos na França. Na minha idade, sete anos é quase uma vida... Eu construí amizades muito fortes lá e minhas maiores lembranças são com os meus amigos, indo da casa de um amigo para a casa de outro, bebendo vinho nas noites de inverno ou saindo nas boates, porque em Paris os apartamentos são pequenos e, muitas vezes, acaba sendo difícil acomodar todo mundo.

Hoje, qual é seu vínculo com a França?
Devido ao meu mestrado na França e aos anos de trabalho no país, adquiri a cidadania francesa. Esta é a minha ligação mais óbvia com a França ! Hoje, eu trabalho para uma empresa francesa em São Paulo, eu vou e volto para Paris. Há dois anos e meio eu voltei ao Brasil mas continuo a me sentir mais em casa em Paris do que em São Paulo. A cidade é mais tranquila, eu me sinto melhor lá. Também criei uma gravadora na França com um amigo parisiense, é outra ligação forte que eu tenho com a França, uma ligação empreendedora dessa vez.

Qual é sua atividade profissional?
Quando terminei o meu Mestrado em Informação e Comunicação, fiz um estágio em uma editora musical chamada MusicWave. Microsoft comprou esta pequena empresa enquanto eu estava estagiando e eles me efetivaram. Acabei passando 5 anos trabalhando para Microsoft em Paris. Hoje trabalho para a empresa francesa Deezer em São Paulo. Sou responsável pela negociação dos contratos com as gravadoras, pelas relações institucionais e o desenvolvimento na América Latina.

O que sua estadia na França mudou na sua vida?
De um ponto de vista profissional, a minha estadia na França me ensinou a organizar melhor os meus pensamentos. Do ponto de vista pessoal, descobri outros modelos de "viver juntos". O brasileiro é muito sociável na rua, mas muito individualista em casa. Na França, as pessoas estão prestando mais atenção um ao outro.

Três palavras que resumam sua experiência lá?
Maturidade, amizade, cultura.

Três palavras que resumam o país?
Social, bem estar, mal-humorado.

publié le 12/02/2015

haut de la page