Meus estudos na França - fevereiro 2016

Uma vez por mês, apresentamos um breve encontro com brasileiros que estudaram na França, vindos do Rio de Janeiro, de Minas Gerais e do Espirito Santo. Algumas perguntas, sempre as mesmas, nos permitem saber mais da experiência de quem saiu daqui para ir estudar nas universidades francesas.

Jaime Grabois: "Me trouxe enorme experiência cultural, linguística, profissional, gastronômica e, claro, amigos para a vida toda;"

JPEG

Jaime tem 29 anos. Estudou no Institut d’Études Politiques de Paris (Sciences-Po) durante um semestre, com um intercâmbio da FGV Direito - Rio

Cidade de origem: Rio de Janeiro (RJ)

Cidade de estudos na França: Paris

Por que você escolheu estudar na França?
A cidade das luzes - e a França como um todo- me trariam enorme conhecimento geral, cultural acadêmico e profissional; e diante da importância que a língua francesa apresenta para a sociedade e, sobretudo, para a minha profissão: advogado em Direito de Família e Internacional. Recordo-me que após meses vivendo em Paris, estudei na Academia de Direito Internacional de Haia. As aulas, em francês ou inglês, foram muito bem compreendidas na primeira opção, assim como os vínculos - profissionais e pessoais – foram mais facilmente estabelecidos, devido à experiência prévia que a França me trouxe.

Qual foi sua primeira impressão ao chegar à França?
Minha primeira impressão, além do frio considerável de janeiro, foi de ficar deslumbrado ao viver em um prédio do século XVIII, ir e voltar à Universidade por ruas permeadas de História - sentir e viver a História.

Qual a sua maior lembrança da França?
Minha maior lembrança refere-se às amizades, que demoram a se fazer mas cujos elos se tornam inabaláveis uma vez realizadas, e aos queijos e vinhos brindados com as mesmas no rio Sena, quando se iniciou a primavera.

Hoje, qual o seu vínculo com a França?
Meu vínculo atual se refere aos clientes, aos amigos que fiz e, evidentemente, ao currículo feito na França.

Qual a sua atividade profissional?
Sou advogado de Direito Civil, focado em Direito de Família e Internacional, com atuação no escritório da Dra. Claudia Grabois - Advocacia e Consultoria.

No quê sua estadia na França mudou sua vida?
Me trouxe enorme experiência cultural, linguística, profissional, gastronômica e, claro, amigos para a vida toda;

Três palavras para resumir sua experiência lá?
Desafios, Amizades e História.

Três palavras para resumir o país?
Cultura, Identidade e - porque não dizer? - Gastronomia.

Laura Mollica: "Lá eu fiz verdadeiros amigos!"

JPEG

Laura tem 29 anos e estudou Artes Cênicas na Université Stendhal, em Grenoble, durante dois anos

Cidade de origem: Rio de Janeiro (RJ)

Cidade de estudos na França: Grenoble

Por que você escolheu estudar na França?
Eu já tinha morado 6 meses em Paris, estudando francês. A liberdade de poder andar de bicicleta a qualquer hora do dia ou da noite e a efervescência cultural, foi o que fez a minha cabeça. Quando eu me inscrevi para o intercâmbio, eu queria uma universidade que ensinasse artes também, e as melhores que vi ficavam na França ou na Alemanha. Mesmo fazendo jornalismo no Brasil, quando cheguei lá mudei toda a minha grade curricular e peguei só as matérias de Artes Cênicas.

Qual foi sua primeira impressão ao chegar à França?
A minha primeira impressão ao chegar para a minha longa estadia em Grenoble, foi de pânico. Lembro que eu suava frio, vendo a cidade que parecia tão pequena e pensando o que eu faria naquele lugar durante 1 ano. Aos poucos eu fui conhecendo a cidade, a cultura, as montanhas ao redor e ficando totalmente cativada pelo lugar e pelas pessoas. No final das contas essa talvez tenha sido a experiência mais intensa e marcante que tive na vida (e olha que já faz 6 anos que voltei).

Qual a sua maior lembrança da França?
De Grenoble, tenho muitas lembranças que ficaram marcadas até hoje. Uma delas é de quando viajei para ensaiar com o coral da universidade num chalé na montanha, e enquanto cantávamos começou a nevar do lado de fora. Dentro da casa todos sorrindo, cantando e lá fora a neve. É uma imagem que até hoje ficou na minha memória.

Hoje, qual o seu vínculo com a França?
Meu padrasto é francês. E como atriz, eu estou atualmente ensaiando ‘Anatomia Comparada’, uma peça adaptada de um texto francês que fala da revolução de 1789. Mas o vínculo que mais me orgulha é que acabei formando um casal que está junto até hoje (rs). Apresentei uma das minhas melhores amigas a um amigo francês que vinha para o Brasil fazer intercâmbio em 2009. Estão juntos há 6 anos e hoje eles moram juntos em Paris.

Qual a sua atividade profissional?
Sou atriz e editora de vídeos no Rio.

No quê sua estadia na França mudou sua vida?
Lá eu fiz verdadeiros amigos, com quem falo até hoje. Com certeza a experiência de ter morado fora, ter feito trabalhos voluntários por lá e apresentar uma peça num palco francês me trouxe uma maturidade para o que eu queria da vida. E Grenoble é uma cidade totalmente universitária, então as pessoas acabam ficando mais próximas. Eu fiz muitos amigos franceses e conheci pessoas incríveis do mundo todo.

Três palavras para resumir sua experiência lá?
Intensidade, amizade e imersão.

Três palavras para resumir o país?
Acolhedor, estimulante e eficiente.

Mira Blanche Lesage: "Hoje eu não me vejo em outro lugar!"

JPEG

Mira tem 20 anos e estuda Psicologia na Universidade Paris V (Paris Descartes), onde está no segundo ano.

Cidade de origem: Rio de Janeiro (RJ)

Cidade de estudos na França: Paris

Por que você escolheu estudar na França?
Estudei toda minha vida em uma escola francesa, o Lycée Molière do Rio. Ao concluir o ensino médio, obtive o Baccalauréat, diploma que dá acesso ao ensino superior francês. Achei que estudar psicologia na Europa seria enriquecedor e estava pronta para partir para uma nova experiência de vida. Sou franco-brasileira e sempre vivi no Brasil, tive vontade de conhecer a vida no meu segundo país, que estava de braços abertos para me acolher.

Qual foi sua primeira impressão ao chegar à França?
Achei tudo tão bem organizado, comparei a uma cidade de brinquedo.

Qual a sua maior lembrança da França?
Sabendo que ainda moro aqui, é muito difícil citar apenas uma grande lembrança, tem muita historia pra contar... Algo recente foi quando eu estava andando pelos ‘Jardins du Luxembourg’ e começou a nevar: foi a primeira vez que eu presenciei a neve caindo em floquinhos e em seguida saíram raios de sol dentre as nuvens, foi um momento incrível.

Hoje, qual o seu vínculo com a França?
Hoje eu não me vejo em outro lugar, amo morar aqui e sou muito grata ao valor que a França dá aos estudantes em todos os aspectos, isso é algo que não existe ainda no Brasil, infelizmente. Sei que tenho “privilégios” que eu não teria no Rio, falo das coisas básicas do dia-a-dia. Assim como me sinto em casa no Rio, Paris cuida de mim como uma mãe, quero abraçar essa cidade.

Qual a sua atividade profissional?
Pretendo me formar na faculdade, faço baby-sitting durante a semana.

No quê sua estadia na França mudou sua vida?
Por ser o lugar aonde vim morar sozinha pela primeira vez na vida, com certeza representa uma etapa bem importante, o crescimento que veio junto com isso é absurdo. Também criei laços muito fortes.

Três palavras para resumir sua experiência lá?
Aprendizado, Experiência, Independência.

Três palavras para resumir o país?
Acessibilidade, Educação, Logica.

Diego Dantas: "a Franca mudou meu jeito de viver no Brasil!"

JPEG

Diego tem 23 anos e foi à França estudar francês na Aliança Francesa de Paris.

Cidade de origem: Rio de Janeiro (RJ)

Cidade de estudos na França: Paris

Por que você escolheu estudar na França?
Escolhi estudar na França, pois sei que além de aprender uma língua diferente, há lugares lindos e impressionantes para explorar, lugares que eu não imaginei conhecer tão cedo. A França tem grandes oportunidades de trabalho e de estudos para quem quer ter realmente uma ótima experiência no currículo.

Qual foi sua primeira impressão ao chegar à França?
Achei uma cidade muito impressionante, de beleza encantadora, de pessoas bonitas e educadas, de culturas diferentes.

Qual a sua maior lembrança da França?
Como temporariamente vivo na Franca, praticamente todos os dias guardo um momento, uma lembrança, uma imagem por onde eu passo.

Hoje, qual o seu vínculo com a França?
Como estou temporariamente morando na França, tenho uma ligação de trabalho e ao mesmo tempo estudo línguas estrangeiras em cursos.

Qual a sua atividade profissional?
Eu sou Graphic e Fashion Designer.

No quê sua estadia na França mudou sua vida?
Mudou minha maneira de pensar, de agir em lugares, de valorizar as pessoas. A França é um lugar onde as coisas acontecem, onde pessoas te ajudam, te dão oportunidades de crescer, de valorizar as amizades e muito mais. Acho que é isso, a Franca mudou o meu jeito de viver no Brasil.

Três palavras para resumir sua experiência lá?
Oportunidade, Beleza e Incrível.

Três palavras para resumir o país?
Magnífica, Encantadora e Fantástica.

publié le 30/03/2016

haut de la page