Repórteres por um dia, alunos da escola bilíngue de Niterói visitam o Consulado

Repórteres por um dia, um grupo de alunos que fazem o jornal da escola bilíngue de Niterói, o Ciep 449 Leonel de Moura Brizola, visitam o Consulado da França

Um grupo de três alunos, composto por Matheus, Evellyn e Breno, entrevistaram dois funcionários do Consulado, para saber como funcionam os serviços.

Entrevista com João Marcos Rampini – Campus France

PNG

- Qual o seu nome?
Eu me chamo João Rampini

- Qual o seu trabalho no Consulado?
Bom, eu sou o representante do Campus France no Consulado. Campus France é uma organização do Governo Francês para a promoção dos estudos na França. Eu trabalho com os brasileiros que querem estudar na França.

- Como foi que você começou a trabalhar no Campus France ?
Sou formado em Relações Internacionais, e sempre me interessei pelas relações entre o Brasil e os outros países. Estudei francês e criei laços com a França. Depois eu comecei a trabalhar com intercâmbios de estudantes vindos de vários países. Quando o Consulado abriu um escritório do Campus France aqui no Rio, me candidatei e fui selecionado.

- O que é que o Campus France oferece aos brasileiros que querem estudar na França?
Bom, o Campus France desenvolveu varias ferramentas para ajudar os brasileiros que vão estudar na França: o site contém muitas informações, como um catálogo de todas as bolsas de estudos que estão disponíveis para os alunos estrangeiros, e lá também é possível fazer o seu pedido de inscrição on-line em varias universidades francesas.

Entrevista com André Villenave – Setor de Vistos

PNG

- Este é um serviço muito importante para os cidadãos brasileiros. Como funciona o seu trabalho?
Bom... Primeiro eu recebo os dossiês das pessoas, que preenchem um formulário e apresentam os documentos solicitados. Verifico se está tudo completo, se falta alguma coisa, se o tipo de visto solicitado corresponde à necessidade da pessoa, depois eu envio as informações para a França por um sistema informático. O serviço de vistos na França verifica de novo todas as informações, se tudo estiver certinho eles dão um parecer favorável e eu emito o visto.

- O seu trabalho é cansativo?
Cansativo? ... Sim, às vezes, na época da volta às aulas na França eu recebo muitos estudantes, às vezes chegam a ser 50 pessoas por dia.

- No seu trabalho, o que é que você mais gosta de fazer?
Gosto de ajudar as pessoas que precisam ir à França para se reunir com a família, e também os jovens que vão estudar na França.

- É difícil a adaptação para fazer esse trabalho?
Sim, é muito difícil porque são muitos os casos especiais. Os vistos de estudantes e de cônjuges de franceses são simples, mas às vezes temos casos específicos, como as adoções, que são mais complicados. Os vistos para militares e diplomatas também são delicados, porque temos que conhecer as leis e os acordos entre os diferentes países, que mudam frequentemente.

- Você pode contar um caso interessante que você tenha tido no serviço de Vistos?
Sim, tive recentemente um caso curioso, um pedido de visto apresentado por um cidadão apátrida, uma pessoa sem nacionalidade. Foi um dossiê difícil de processar, porque eu nunca tinha tido um caso desses, tive pesquisar para saber como fazer. E descobri que a França não reconhece esse tipo de passaporte.

Reportagem sobre o novo espaço cultural do Consulado Geral da França no Rio: "A MAISON"

Uma equipe de quatro alunos, Allef, Laysla, Ana-Roza e Luis Phelipe, realizaram uma pequena reportagem para apresentar o loft cultural "A MAISON" do Consulado da França no Rio. Veja o vídeo:

Making-off da visita

Um terceiro grupo, formado por Marcos, Arthur, Glenda e Caio, filmou e fotografou a vista toda, para postar as imagens na pagina Facebook do Consulado.

Veja o resultado:

Entrega dos diplomas

No fim do dia, os alunos apresentaram os trabalhos realizados ao Cônsul Geral da França no Rio de Janeiro, Brice Roquefeuil. O Cônsul entregou a cada um o diploma de participação e um cartão de sócio do espaço A Maison, que também dá acesso à plataforma Culturethèque, através da qual os alunos tem acesso por internet a um vasto conteúdo em francês (livros, filmes, quadrinhos...). As equipes dos serviços linguístico e de comunicação do Consulado e as orientadoras da escola que acompanharam a visita ficaram muito satisfeitas com o entusiasmo dos estudantes.

JPEG
JPEG

publié le 29/04/2016

haut de la page