#Rio2016 / Caiaque: Encontro com a equipe francesa “les Bleus”

Entrando no clima dos Jogos Olímpicos do #Rio2016, o Consulado da França no Rio de Janeiro foi à procura do time francês (les Bleus) de caiaque. Vocês vão ficar sabendo de tudo: os apelidos dos atletas, para poder gritar na torcida, onde eles nasceram, e quais são as suas melhores recordações esportivas!

JPEG

Hugo Biso: "Rio2016 é quero estar lá"

Idade: 27 anos

Cidade natal: Agen (França)

Apelido: “Patrick Chirac”

Prêmios: Vice-Campeão do mundo na modalidade caiaque de dois assentos em 2014 e 2015

Qual a sua melhor lembrança esportiva?
São as duas medalhas de vice-campeão do mundo, que eu ganhei junto com Pierre Picco, motivo pelo qual nós continuamos treinando! Além disso, tenho ótimas lembranças com os meus colegas, somos um grupo de 6 ou 7, todos da mesma geração, 1987-1988. Começamos a treinar na equipe Junior, depois passamos para Sênior, fomos sempre muito unidos.

Qual o seu recado para os torcedores da França nos Jogos do Rio2016?
Venham, venham, venham! Venham para a festa! Venham nos ver vencer!

Quais as palavras que você gostaria de aprender em português?
“Vamos sair para dançar hoje à noite?”. Tivemos a oportunidade de assistir um jogo no Maracanã na semana passada, a emoção nas arquibancadas é incrível, dá vontade de conhecer melhor o povo brasileiro!

Qual a sua personalidade brasileira predileta?
Para agradar o meu filho, vou dizer que é o Neymar! Aliás, não consegui encontrar uma camisa as Seleção brasileira, será que depois do 7 a 1 pararam de vender?

Rio 2016 em três palavras?
“Quero estar lá!”

Pierre Picco: "Rio2016 é treinamento, vitória e prazer!"

JPEG

Idade: 27 anos

Cidade natal: Muret (França)

Apelido: “Barraquê”

Prêmios: Vice-Campeão do mundo na modalidade caiaque de dois assentos em 2014 e 2015

Qual a sua melhor lembrança esportiva?
Em 2014, quando ganhamos a medalha em Deep Creek, nos Estados-Unidos, a minha família estava lá, e alguns torcedores franceses também. Nós víamos os olhos deles brilhando, as bandeiras balançando, o nosso treinador Yann Lepennec chegou a ficar com os olhos cheios d’agua. Chovia muito, então o pódio foi montado num pátio coberto e nós não tiremos fotos, mas eu me lembro como se fosse ontem! Quando se é vice-campeão, não se canta a Marselhesa, mas nós escutamos o hino dos vencedores.

Qual o seu recado para os torcedores da França nos Jogos do Rio2016?
“Obrigado por terem vindo!” O apoio da torcida é bom demais, é como se estivéssemos num casulo. No Rio, a instalação de canoagem está ótima! Com o barulho da agua, não conseguimos distinguir se há franceses na arquibancada, mas quando ouvimos os gritos de “Allez! Allez! Allez! (Vai! Vai! Vai!)” na chegada, isso faz toda a diferença!

Quais as palavras que você gostaria de aprender em português?
“Nos vemos em breve”, tenho vontade de dizer isso ao pessoal do hotel e das instalações de canoagem, com os quais passamos duas semanas. Eu quero muito poder voltar, vamos saber em abril se seremos qualificados, estão espero que seja mesmo “Até logo!”. Nós subimos até o Corcovado, metade do caminho correndo e a outra metade a passos rápidos, com toda a equipe da França. Vimos miquinhos na floresta, posso dizer que fora das competições, essa será a minha melhor recordação da cidade!

Qual a sua personalidade brasileira predileta?
Eu conheço Ronaldo e Ayrton Senna, de quem ouço falar desde que eu era pequeno. Gostei muito de ir à zona norte do Rio, no bairro de Deodoro onde aconteceram os eventos-teste. Ainda quero ir a Copacabana!

Rio 2016 em três palavras?
Treinamento, vitória, prazer!

publié le 28/04/2016

haut de la page