Tractebel comercializa 533,2 MW no leilão A-5

A Tractebel Energia saiu do leilão de A-5, no dia 28 de novembro de 2014, apta a comercializar 386,9 MW médios de energia provenientes de três plantas: o Complexo Eólico Campo Largo (178,2 MW) na Bahia, a termelétrica Pampa Sul (340 MW), no Rio Grande do Sul e Termelétrica Ferrari (15 MW), em São Paulo. Com isso, a maior geradora privada de energia do Brasil diversifica seu parque gerador e oferece mais segurança ao sistema. O investimento nos projetos é da ordem de R$ 3,6 bilhões.

JPEG

A Usina Pampa Sul, de 340 MW de capacidade instalada, será erguida na cidade Candiota (RS). A nova Usina deverá estar em operação em janeiro de 2019 e será construída pela empresa chinesa SDEPCI, que detém larga experiência na construção e comissionamento de termelétricas com a tecnologia de ponta que será usada na Usina Pampa Sul.

“Pampa Sul é um novo capítulo na história energética do carvão brasileiro e um passo importante para o aproveitamento do potencial existente no Rio Grande do Sul, maior jazida conhecida do Brasil”, avalia o presidente da Tractebel Energia, Manoel Zaroni Torres. De acordo com dados da Aneel, as reservas brasileiras ocupam o 10º lugar no ranking mundial, totalizando sete bilhões de toneladas. Desse volume de reservas, o Rio Grande do Sul responde por 89,25%; Santa Catarina, 10,41%; Paraná, 0,32% e São Paulo, 0,02%. Somente a Jazida de Candiota (RS) possui 38% de todo o carvão nacional.

A Companhia possui larga experiência na operação e manutenção de usinas a carvão. Do total de seu portfolio próprio de 7.027 MW, 1.119 MW são provenientes de termelétricas. Seu principal empreendimento é o Complexo Termelétrico Jorge Lacerda, em Capivari de Baixo (SC), com capacidade instalada de 857 MW. No Rio Grande do Sul, a Companhia possui a Usina Termelétrica Charqueadas, com 72 MW de capacidade instalada. Além dessas Usinas, a Tractebel opera as termelétricas Ibitiúva (SP), Ferrari (SP), ambas com bagaço de cana; Lages (SC), a biomassa de madeira, e William Arjona (MS), a gás natural. Todas as Usinas da Tractebel apresentam excelentes índices de performance sendo que as Usinas a carvão têm desempenho acima da média nacional, mesmo se comparadas a novas usinas que usam carvão importado, de melhor qualidade que o nacional.

Por sua vez, o Complexo Campo Largo, situado nos municípios de Sento Sé e Umburanas, na região da Chapada Diamantina, na Bahia, será composto por onze parques eólicos. A energia foi vendida pelo período de 20 anos. Esses parques, juntamente com outros cinco destinados ao Mercado Livre, compõem a primeira fase do Complexo Campo Largo, com capacidade instalada total de 326,7 MW. “O crescimento da participação de eólicas no parque gerador é um objetivo estratégico da Companhia para manter a posição de maior geradora privada do Brasil”, comenta Zaroni. O projeto Campo Largo amplia a participação da energia eólica na matriz energética do País e no portfolio da Tractebel, contribuindo para a geração de energia renovável. “Hoje, temos seis usinas eólicas em operação que totalizam 159,4 MW”, completa Zaroni.

Os parques eólicos que serão implantados na Bahia contarão com aerogeradores Alstom ECO 122 com capacidade de 2,7 MW. As torres terão 89 metros de altura, as pás terão 59,3 metros de comprimento e o diâmetro do rotor será de 122 metros. Campo Largo e Pampa Sul têm entrada em operação programada para janeiro de 2019. As obras terão início no segundo semestre de 2015.

Em relação à Usina Termelétrica Ferrari, suas obras já estão em andamento. A Usina é um empreendimento de cogeração de energia a biomassa de cana-de-açúcar, em operação comercial desde junho de 2009, localizado em Pirassununga (SP). Ferrari está em ampliação e terá capacidade instalada total de 80,5 MW.

origem: Tractebel Energia, comunicado de imprensa do 28/11/14
Foto: « Energia Eolica » par Otávio Nogueira

publié le 13/02/2015

haut de la page